Janeiro - 1943

19 de Janeiro de 1943, na sede do Aeroclube de São Paulo, realizou-se uma empolgante cerimônia batismal do avião Gaspar Ricardo doado ao Aeroclube de Resende pelas firmas “Servix Elétrica Ltda e Serva Ribeiro & Cia.” Para integrar a esquadrilha de instrução nas Agulhas Negras. O A.C.R. esteve representado pelos Srs. Major Adalberto Mendes, Celso Chaves e o monitor Paulo Chaves. Foi padrinho do avião o ilustre Dr. Guilherme Whinter. O vibrante jornalista Assis Chateaubriand, assim discursou: “Resende está de parabéns. O Interventor Amaral Peixoto e o Major Macedo Soares aceitaram o nosso programa de concentrar em Resende todo o material de vôo da zona fluminense.”

Em março, sob a direção de Paulo Chaves, hábil monitor do Aeroclube, está em trabalho de treinamento a primeira turma de pilotos da Aviação Civil de Resende formada pelos senhores Dr. José Máximo Balieiro, Dr. Arthur Brito Pereira, Waldeberto Taranto, Marcelo Drable, Cléber Drable, Paulo Junqueira Vila-Forte, Henrique Andréa, Clodoaldo de Abreu Filho, Domingos Cândido Dias, Geraldo Ramos de Souza, Renato de Oliveira Lima, Wilson Duarte Valim, Expedito de Paula Faleiros, Walentim de Oliveira Barbosa, Cícero Pereira Rosa e Cemiro Poggi.

Em outubro, em provas realizadas perante Inspetores da Aeronáutica, foram aprovados os primeiros pilotos do Aeroclube de Resende, instruídos pelo monitor Paulo Chaves, com elogios pela primazia de contribuir no Estado para que a aviação civil fosse uma afirmativa de trabalho e eficiência, reserva que é da aviação militar. A primeira turma foi assim constituída: Wilson Valim, Waldeberto Taranto, Kleber Drable e Marcelo Drable, Clodoaldo Abreu, Henrique Andréa, Expedito Faleiros, Geraldo Ramos de Souza, Dr. José Máximo Balieiro, Valentim Barbosa, Cícero Pereira Rosa, Dr. Arthur Brito Pereira, Paulo Vila-Forte, Casemiro Poggi e Renato de Oliveira Lima.

Foi promovido a Tenente Coronel o Major Adalberto Mendes, operoso presidente do Aeroclube de Resende. Para aquisição do avião “Justiça”, a ser incorporado à F. A. B., o Juiz Dr. Orlando Carlos da Silva angariou donativos na importância de 744,00 cruzeiros.

Em desastre de aviação, morreu o aviador paraguaio Julio Filippis nas ribeiras escarpadas do rio Preto. Encontrado o inditoso, foi transportado daqui para o Rio, de onde seguiu para o Paraguai. Os Ministros da Guerra e da marinha do Paraguai enviaram notas de agradecimentos pelas atenções dos pilotos civis do Aeroclube de Resende e militares da escola de Aeronáutica dos Affonsos. O corpo do piloto foi encontrado na mata por roceiros e trazido à Resende por Roberto Búhler em sua caminhonete. Senhora Sebastiana Chaves, mãe do monitor Paulo Chaves, mandou celebrar missa em ação de graças pelo bom resultado alcançado pelas turmas de pilotos brevetados, instruídos por seu filho no Aeroclube de Resende.